Desenvolvido por: Linkedin Instagram

Judiciário do Paraguai conhece os resultados do processo digital no Brasil

16/08/2018 | 2 min. de leitura

Débora Anselmo e Pedro Vedovelli apresentam workshop sobre a transformação digital na Justiça brasileiroa
Débora Anselmo e Pedro Vedovelli apresentam workshop sobre a transformação digital na Justiça brasileiroa

A convite do Poder Judiciário do Paraguai, a Softplan apresentou na capital Assunção a experiência brasileira com o Processo Digital. O workshop teve como público magistrados, atuários e funcionários da Corte de Justiça do país vizinho. O evento foi realizado no último dia 6 de agosto.

O encontro foi realizado no Palácio de Justiça em Assunção, sede do Judiciário do Paraguai. A Softplan foi representada pela gestora do projeto de internacionalização, Débora Anselmo, e o executivo de negócios Alexandre Vedovelli. Eles contaram a experiência da implantação do Sistema de Automação da Justiça (SAJ) no Tribunal de Justiça de São Paulo.

“A modernização torna a Justiça mais rápida, acessível e eficaz. O TJSP é um exemplo. Além disso, há os ganhos ambientais: uma economia de cerca de 5 toneladas de papel”, disse Vedovelli, sobre a apresentação.

A dupla levou aos magistrados paraguaios alguns números que mostram os resultados. Entre eles, o ganho de tempo de 624% na duração do processo em dias, da sua distribuição até a sentença. Também o aumento da capacidade de resolução de processos: o Índice de Atenção à Demanda subiu de 0,72 em 2010 para 1,7 em 2017, segundo estimativa da Softplan. Ou seja, além de finalizar todas as ações que recebe num ano, o TJSP consegue reduzir o estoque de processos.

Representantes do Judiciário do Paraguai agradecem visita

O Palácio de Justiça do Paraguai foi representado pelo juiz Alberto Martinéz Simón. Ele agradeceu a Softplan e comentou que seu país busca capitalizar os ganhos do Brasil com o processo digital. Para ele, o encontro vai gerar ideias para a administração do Judiciário local.

“O workshop é de interesse tanto para os tribunais que realizam tramites e expedientes digitais, quanto para as direções administrativas envolvidas na aplicação de novas tecnologias”, disse o magistrado.

O evento teve apoio do Centro Internacional de Estudos Judiciários (CIEJ), da Diretoria de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICS) e do Departamento de Relações Internacionais do Paraguai.

Seus comentários são sempre muito bem-vindos. Comente!

Este espaço destina-se às repercussões sobre notícias e artigos publicados no SAJ Digital. São de responsabilidade de seus autores. Não servem como abertura de chamados e atendimentos para o portal e-SAJ.

Leia também

Receba nossas novidades por e-mail:

Fale com o
especialista
Desenvolvido por: Linkedin Instagram