Sustentabilidade do processo digital: Softplan apresenta na ONU case do Tribunal de Justiça de São Paulo

Sustentabilidade do processo digital: Softplan apresenta na ONU case do Tribunal de Justiça de São Paulo

sustentabilidade do processo digital

Todo avanço tecnológico só faz sentido quando influencia de maneira positiva o mundo e a vida das pessoas.

O Tribunal de Justiça de São Paulo, a maior Corte do país, transformou pilhas e mais pilhas de papéis em dados que podem ser acessados com facilidade, agilidade e segurança por qualquer cidadão paulista.

Ao implantar o Sistema de Automação da Justiça, desenvolvido pela Softplan, o Judiciário paulista avançou rumo a uma revolução. Investiu na transformação digital: além de celeridade e eficiência, o SAJ significou um enorme passo de sustentabilidade. Desde o final de 2015, nenhuma ação em papel ingressa no TJSP, no qual tramitam mais de 25 milhões de processos, ou seja  ¼ dos processos do Brasil.

Este ciclo de boas práticas que colocou o TJSP na vanguarda da Justiça brasileira começou há mais de uma década. Depois de unificar os sistemas de gestão dos processos judiciais, com o Plano de Unificação, Modernização e Alinhamento, e de se tornar uma das primeiras cortes a receber ações novas somente em meio digital, a Corte paulista investiu em capacitações contínuas de seus servidores para disseminar as melhores práticas de uso do sistema e, com isso, melhorar ainda mais a produtividade de servidores e magistrados.

E é esse case que a Softplan irá apresentar na COP 23, conferência da ONU que reúne 182 países, em Bonn, na Alemanha, até o dia 17 de novembro.

Com o tema “Menos papel, mais Justiça – o caso do maior Tribunal da América Latina”, os executivos da Softplan Rodrigo Santos e Tiago Melo contam como o SAJ contribui para o desenvolvimento sustentável. As apresentações ocorrerão nesta quinta-feira, dia 9.

 

 

“O processo digital é capaz de causar uma espécie de revolução na Justiça de qualquer país. Com um ambiente de trabalho sem papel e muito mais organizado, os servidores têm uma qualidade de vida maior e se engajam nas campanhas pelo desenvolvimento sustentável porque convivem de perto com os benefícios. Eles se tornam embaixadores da ideia e reproduzem estas boas práticas na sociedade”, argumenta Rodrigo Santos, diretor de Negócios e Serviços da Softplan.

Sustentabilidade do processo digital no maior TJ da América Latina

Numa projeção de 2016 a 2026, 46 milhões de processos digitais devem tramitar no TJSP. Isso poupa o uso de 10 mil toneladas de papel, que seriam produzidas com 250 mil árvores (2,2 mil campos de futebol), 16 toneladas de gás carbônico (8,6 milhões de carros por ano) e 977 milhões de m³ (391 piscinas olímpicas).

Com cerca de 70 mil servidores e orçamento na casa dos R$ 11,2 bilhões, a capacidade de resposta do TJSP para os processos aumentou 68%. O TJSP saltou da 22ª posição noranking de produtividade dos Tribunais para o Top 5 em quatro anos.

“O processo digital tem papel estratégico para a Justiça. Além de contribuir consideravelmente para o desenvolvimento sustentável do país, promove mais agilidade nas respostas para a sociedade, já que elimina uma série de atividades repetitivas. A Tecnologia da Informação é um instrumento que aproxima o Judiciário da sociedade e aumenta a produtividade dos servidores”, acrescenta Tiago Melo.

A participação da Softplan em evento da ONU é destaque no portal de notícias Jus Catarina.

Sobre a Softplan

A Softplan é uma das maiores empresas do Brasil no desenvolvimento de softwares de gestão. Atualmente suas soluções estão presentes em todos os estados brasileiros, em países da América Latina e nos Estados Unidos, fazendo a diferença na vida das pessoas e das organizações. Desde 1990, a companhia atua de modo a tornar a gestão pública e privada no Brasil mais transparente, eficiente e ágil com o uso de tecnologias modernas e inovadoras. Ao longo desses anos, a Softplan se especializou no desenvolvimento e na implantação de softwares de gestão para os segmentos de Justiça, Infraestrutura e Obras, Gestão Pública e Indústria da Construção.

1 Comentário

  • Publicado 16/11/2017 em 20:01 | Link permanente

    Pois é, tenho 71 anos de idade, adoro a tecnologia mesmos sem entender claramente pois, não passo de um usuário comum.

    Mas, falo do e-saj da Softplan, quando começou as notícias sobre processo digital, o termo e-saj ou saj, ou Softplan, eram verdadeiras ???? e Palavrão.

    Hoje, continuo o mesmo simples usuário, mas, registro meu obrigado a Softplan e ao TJ.SP, por terem a coragem de um desenvolver e outro aplicar e usar o melhor sistema para processo digital do Brasil (Os demais sistemas, me perdoem mas estão milhares e milhares de tempo atrasados, não funcional com o Saj).
    Reitero meus parabéns ao TJ.SP e a Softplan pelo arrojo e ousadia em implementar e implantar o sistema e-saj.
    Desejo-lhes muito sucesso.

Comentar

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados *