Justiça Bandeirante: servidores da RAJ de Araçatuba participam de capacitações para melhorias no processo digital

Justiça Bandeirante: servidores da RAJ de Araçatuba participam de capacitações para melhorias no processo digital

Melhorias no SAJ são discutidas no Justiça Bandeirante

As discussões para melhorias no processo digital do Tribunal de Justiça de São Paulo seguem a todo vapor. O Projeto Justiça Bandeirante tem promovido workshops semanais para a disseminação das melhores práticas no uso do Sistema de Automação da Justiça (SAJ), solução adotada na Corte paulista para a gestão dos processos judiciais. Desta vez, foram os servidores da 2ª Região Administrativa Judiciária (RAJ), de Araçatuba, que se reuniram para diagnosticar dificuldades e oferecer sugestões de melhorias no processo digital.

O encontro, que ocorreu nos dias 12 e 13 de julho, faz parte do Justiça Bandeirante. Lançado em março pelo presidente Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, o projeto busca que os servidores utilizem plenamente a tenologia para alcançar a eficiência máxima do SAJ — mais produtividade para  aprimorar a efetiva prestação jurisdicional. Até o momento, cerca de 4,3 mil servidores já participaram dos workshops realizados nas nove RAJs.

ordem cronológica de julgamento no novo CPCLeia mais
Eficiência do SAJ: Justiça Bandeirante avança pelo Estado de São Paulo
Programa vai capacitar servidores para boas práticas com processo digital

A primeira fase do projeto termina no final de julho – falta apenas diagnosticar algumas comarcas da 1ª RAJ e as pertencentes à 8ª RAJ (São José do Rio Preto). A partir de agosto, inicia-se a segunda fase do Justiça Bandeirante que promoverá novas capacitações (reciclagens) e a disponibilização de manuais e guias do SAJ.

O juiz diretor da 2ª RAJ, Emerson Sumariva Junior, apontou que a tecnologia não é uma opção, ela veio para ficar. “Temos que fazer mudanças e buscar sempre melhorar. Aproveitem bem o workshop e façam críticas construtivas para que possam ser trabalhadas e a solução aparecerá”, garantiu.

Para o juiz assessor da Presidência para assuntos de informática, Aléssio Martins Gonçalves, nesta fase do Justiça Bandeirante quem ensina são os servidores. “Há as peculiaridades de cada região e de varas especializadas. O ponto de vista dos servidores é muito importante para desenvolvermos alterações no sistema a partir das suas sugestões. Vamos investir nisso”, disse. Aléssio sinalizou que o processo digital é irreversível e que a Presidência investirá em um núcleo de capacitação para cada RAJ.

 Melhorias no processo digital: servidores aprendem e ensinam

A secretária da Tecnologia da Informação, Rosely Padilha de Souza Castilho, relembrou a década de investimentos em tecnologia que o TJSP vem atravessando. Ela falou sobre a evolução e elencou mudanças que o Tribunal vivenciou de 2006 para cá, quando houve a adoção do processo digital.
Ela explicou que o SAJ assimila a atividade cartorária em que a atuação física deu lugar à digital. “Havia 14 sistemas diferentes de 1º Grau espalhados no Estado e o TJ unificou e todos os computadores estão conectados. Mudou a qualidade dos equipamentos, a malha de cobertura da internet, a impressora e o suporte técnico. Vamos capacitar, catalogar conhecimento e passar para todos. Vamos ensinar e aprender.”

A diretora de capacitação, Ana Lúcia da Costa Negreiros, explicou a organização dos trabalhos e apresentou a equipe responsável pela capacitação dos servidores. Negreiros salientou que o TJSP é o único Tribunal que é digital desde a petição inicial ao arquivamento.

ícone para fotoConfira galeria de fotos

Para finalizar a primeira parte do workshop, o consultor da Softplan (empresa que desenvolve o SAJ em parceria com o TJSP) Rafael Mota, proferiu palestra orientando sobre algumas ferramentas que facilitam as atividades cartorárias, demonstrando a economia do tempo e o aumento de produtividade quando se faz trabalho em lote. “O que determina a produtividade é a forma como o servidor utiliza o sistema. Fazer do jeito certo é mais rápido, causa menos estresse, proporciona a execução de um trabalho melhor, desenvolve a produção individual e da unidade”.

Depois, os participantes organizaram-se em grupos para discutir as melhores práticas. Durante o evento, eles assistiram ao vídeo com mensagem do Presidente Paulo Dimas e outro da Secretaria da Saúde (SAS) sobre a importância da prática da ginástica laboral.

 Acesse aqui a matéria original publicada pelo Tribunal | Fotos: divulgação TJSP

Comentar

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados *