Lean Space Conference: saiba como foi o maior evento gratuito de Lean do Brasil

30/11/2018 | 4 min. de leitura

Lean Space Conference reuniu 200 pessoas e cinco palestrantes na sede da Softplan, em Florianópolis
Lean Space Conference reuniu 200 pessoas e cinco palestrantes na sede da Softplan, em Florianópolis

A Softplan sediou nesta sexta-feira (30) a primeira edição do Lean Space Conference. O evento teve como convidados cinco das principais autoridades em metodologia Lean do Brasil. Ao todo, 200 pessoas acompanharam cinco palestras e um painel de debates durante todo o dia.

Maior evento gratuito de Lean do Brasil, o Lean Space Conference foi criado pelo Grupo de Transformação Ágil (GTA) da Softplan. Além da conferência, foram promovidos quatro meetups ao longo do ano.

“Nosso objetivo é fortalecer a comunidade, trazendo sempre especialistas com importantes discussões. Esperamos que o evento cresça ano a ano”, disse Fábio Trieveler, Lean & Agile Coach e integrante do GTA da Softplan.

Confira a seguir o que foi abordado em cada uma das cinco palestras:

Luiz Claudio Parzianello: Lean Business Analysis: Muito além de uma análise enxuta

A primeira palestra do dia foi com Luiz Cláudio Parzianello, CEO da empresa de consultoria Surya. Ele falou sobre como aplicar a metodologia Lean na análise de negócio. Para ele, a análise de negócio não deveria ser tratada apenas como um cargo nas empresas, mas como uma competência a ser desenvolvida por todos os funcionários.

Parzianello contextualizou a análise como o estudo do contexto, das pessoas envolvidas e do valor entregue pelo negócio. Com isso, é possível entender as necessidades dos clientes, provocar mudanças no trabalho e entregar as melhores soluções.

“Para que isso funcione, é preciso desenvolver em todos um sentimento de agente de mudança”, disse.

O processo de fazer uma análise de negócio completa envolve duas etapas. Na da descoberta, os envolvidos devem sempre buscar ver o todo, pensar como o cliente e fazer constantes análises de valor. Depois, na parte da entrega, agir sempre de forma realista e baseada em exemplos, compreender o que é razoável, estimular a colaboração e a melhoria contínua e evitar o desperdício.

Fábio Jascone : Como o Lean pode ajudar a não ser um profissional mediano

Fábio Jascone, gerente de produto da Softplan, foi o segundo convidado do Lean Space Conference. Ele baseou sua palestra num texto de autoria própria que fez sucesso nas redes sociais e em publicações: “5 características de um profissional mediano”.

“Nas empresas, é mais difícil identificar um profissional mediano do que um profissional ruim”, disse Jascone, com base na sua experiência profissional liderando equipes de desenvolvimento.

Depois de especificar os cinco pontos que fazem das pessoas profissionais medianas, Fábio Jascone listou o que se deve fazer para evitar esse tipo de comportamento. Primeiro de tudo, é preciso fazer do trabalho um propósito da vida, em vez de separar o pessoal do profissional. Depois, aplicar no dia a dia alguns ensinamentos do Lean: reagir rápido e aprender com os erros, evitar desperdício, sair da “bolha” e otimizar o tempo.

Samuel Crescêncio: Lidando com a mudança — tendências tecnológicas e o seu impacto nos modelos existentes

A palestra de Samuel Crescêncio, da consultoria Lean it 101, foi dividida em duas partes. Na primeira, ele começou falando sobre as grandes transformações de humanidades que foram lideradas por pessoas específicas. Os exemplos são dos Estados Unidos, país conhecido por sua cultura de inovação: as ferrovias (Conrnelius Vanderbilt), a energia elétrica (Nikola Tesla), o petróleo (J.D. Rockfeller), a indústria automotiva (Henry Ford) e a computação pessoal (Steve Jobs).

Depois, Crescêncio listou as 10 tendências tecnológicas para 2019 levantadas pela consultoria global Gartner. Este foi o preâmbulo para segunda parte da palestra, em que ele falou sobre as atitudes que impedem a inovação. Entre elas, a cultura de culpa, o medo do fracasso, a impaciência e a abundância de recursos.

“A escassez faz campeões”, disse.

Depois, ele apresentou alguns caminhos para acompanhar o passo disruptivo das empresas: o pensamento exponencial (pensar em atingir sempre 10 vezes), o Lean Thinking e sempre buscar inserir a alta performance desde o início das criações.

“Processos e ferramentas são muito menos poderosos do que a mudança de mindset”, resumiu, para encerrar a primeira parte do Lean Space Conference.

Luiz “Lula” Rodrigues: Como introduzir o Kanban por uma abordagem sistêmica

“Muita gente tem uma visão isolada do serviço que presta. E acha que otimizando essa visão, vai melhorar o serviço como um todo.”

Com esta frase, Luiz “Lula” Rodrigues, da Knowledge 21, falou sobre a importância de se ter uma visão abrangente e aprofundada de toda a empresa. Só assim é possível aplicar melhor técnicas e metodologias de produtividade organizacional numa das partes desse sistema. No caso, a metodologia do Kanban, baseada na movimentação de cartões em um painel visual (board).

“Por mais tentador que seja, começar pelo board geralmente não é a melhor escolha”, explicou. Para Lula, a melhor abordagem de implantação desta técnica é seguir os 8 passos do STATIK, método proposto pelo autor David Anderson, o pai do Kanban.

Erasto Meneses: Lean na veia: uma história real

A palestra de encerramento do Lean Space Conference foi ministrada por Erasto Meneses, chief Agile Coach da Softplan e idealizador do Lean Space. Com uma temática mais motivacional, Meneses contou a sua história de vida e como seus valores e conhecimentos em Lean o ajudaram a superar as dificuldades.

“Não acredito em decisões certas e erradas. Acredito em decisões tomadas dentro de um contexto. E que depois, os erros viram lições”, disse.

Erasto Meneses nasceu e construiu uma carreira na Venezuela. Formado em ciência da computação, chegou a um cargo importante na Procter & Gamble. Isso passando por uma experiência na Toyota, onde obteve sua formação em Lean e Agile. Mas a crise em seu país o obrigou a tomar a tomar a decisão de tentar construir uma nova vida no Brasil e trazer a sua família.

No Brasil, Erasto passou percalços e teve que recomeçar do zero. Na trajetória até conseguir cumprir a promessa de oferecer conforto para a esposa e os filhos e tirar a sua família da Venezuela, nunca esqueceu de seus valores e dos ensinamentos do Lean: buscar os melhores resultados.

“Eu passei pela curva J da minha vida. Mas consegui vencer graças aos meus valores e às pessoas que me ajudaram”, finalizou.

Seus comentários são sempre muito bem-vindos. Comente!

Este espaço destina-se às repercussões sobre notícias e artigos publicados no SAJ Digital. São de responsabilidade de seus autores. Não servem como abertura de chamados e atendimentos para o portal e-SAJ.

Leia também

Receba nossas novidades por e-mail:

Fale com o
especialista
Desenvolvido por: Linkedin Instagram