O que esperar das inovações na Justiça em 2019

11/02/2019 | 3 min. de leitura

A transformação digital tem impactado positivamente as atividades humanas. Na Justiça não é diferente. Além do processo digital, que transformou diferentes métodos de trabalho mais ágeis, tornar a Justiça cada vez mais democrática e transparente se faz necessário realizar investimentos em tecnologia e inovação.

A forma como interagimos com a tecnologia está em constante transição e a Justiça brasileira acompanha esse movimento. Ondas de mudanças no ecossistema da Justiça seguem com o uso de big data, Inteligência Artificial e machine learning.

Realizar maiores análises de informações, estudos de casos muito mais detalhados, consultar jurisprudências de forma rápida e tomar decisões mais assertivas são ações que permitem ter um trabalho mais proveitoso e menos repetitivo.

É importante que as soluções jurídicas sejam pensadas olhando os desafios específicos de cada setor da Justiça. Dessa forma, é possível aplicar as diferentes inovações de forma mais assertiva para os operadores do Direito, algo que se torna essencial para formar uma Justiça mais ágil.

Aqui no SAJ Digital, já escrevemos sobre as tendências em tecnologia jurídica, em série especial sobre o Dia da Justiça. Mas, além das tendências, o que podemos esperar das inovações na Justiça em 2019?

Soluções especializadas para a Justiça

O uso de diferentes tecnologias na Justiça promove agilidade nos processos, reduz demandas de pessoas em atividades maçantes e oferece um completo repositório de informações analíticas para acompanhamento das atividades, além de apoiar trabalhos intelectuais.

Para realizar essas tarefas com excelência, os softwares jurídicos utilizados na gestão precisam estar alinhados com boas práticas de inovações. São elas:

Usabilidade

Muito mais que um design visualmente bem trabalhado, a importância da experiência do usuário em soluções para a Justiça está na usabilidade. Com uma linguagem visual leve e atrativa, as mudanças na interface, feitas com o uso da Experiência do Usuário (UX), objetivam melhorar a estrutura das informações e a evitar o cansaço do usuário ao final do dia.

O UX contempla os sentimentos de quem interage com o sistema. Cores, layout e fontes fazem parte de um conjunto de melhorias proporcionadas pelo trabalho de designers nas telas das soluções jurídicas. Além disso, é importante saber como os usuários utilizam o sistema, assim, é possível adaptar funções e estruturas. Um bom exemplo é o software para advogados, o SAJ ADV, que ao entender e acompanhar o comportamento dos usuários dentro da solução, realizou melhorias na usabilidade.

Inteligência Artificial

O uso da Inteligência Artificial (IA) na Justiça é, por vezes, muito criticada. Isso porque ainda não é vista totalmente como uma aliada nos trabalhos repetitivos e sim como uma concorrente.

É importante entender como as máquinas podem ser usadas a nosso favor. Apesar de muitos profissionais temerem a substituição do trabalho humano por robôs, o aspecto humano é imprescindível na gestão dessas tecnologias.

A adaptação de uso e aplicações da IA já contempla instituições públicas, departamentos jurídicos e escritórios de advocacia. Chatbots, curadorias técnicas e Geração de Linguagem Natural (NLG) são algumas das funções que a IA proporciona à Justiça, em conjunto com advogados.

Nuvem

A infraestrutura física e interna nas empresas está trilhando sua extinção. Mas além do armazenamento, como Google Drive e Dropbox, e do uso de servidores externos, como Amazon Web Services e Microsoft Azure, softwares têm se adaptado à nuvem com seus serviços. Softwares as a Service (SaaS) é um exemplo de crescente implantação na Justiça brasileira.

Os softwares na nuvem possibilitam acesso a arquivos e dados em qualquer lugar e horário, caso haja acesso à internet. Isso permite, com maior facilidade, o teletrabalho (também chamado de trabalho remoto). Recentemente amparado pela Reforma Trabalhista, o teletrabalho também alcança a esfera pública com a resolução 227 do CNJ.

Os principais benefícios dos serviços na nuvem, além do teletrabalho, estão na redução de custos com hardwares e softwares, otimização de tempo e aumento na produtividade.

O que esperar das diversas inovações na Justiça em 2019?

É importante fortalecer as discussões para que os operadores do Direito estejam à frente da transformação do Judiciário. Com soluções pensadas em usabilidade, IA e disponibilidade na nuvem, a Justiça chega muito mais ágil, eficaz e transparente ao cidadão.

Mas as grandes transformações acontecem de fato com a combinação destas inovações. Além de trabalhar com cada um delas individualmente, é preciso olhar para o desempenho que elas proporcionam.

Seus comentários são sempre muito bem-vindos. Comente!

Este espaço destina-se às repercussões sobre notícias e artigos publicados no SAJ Digital. São de responsabilidade de seus autores. Não servem como abertura de chamados e atendimentos para o portal e-SAJ.

Leia também

Receba nossas novidades por e-mail:

Fale com o
especialista
Desenvolvido por: Linkedin Instagram