Por que o processo digital é um aliado do meio ambiente?

Por que o processo digital é um aliado do meio ambiente?

Quando se fala em processo digital, uma das primeiras impressões que vem à mente é a modernização e celeridade da Justiça. Como a tramitação é eletrônica, muitos dos procedimentos burocráticos acabam sendo eliminados, o que garante um andamento mais rápido e a consequente prestação dos direitos e necessidades dos cidadãos em um tempo menor. Mas tão importante quanto a celeridade é o fato de o processo digital evitar o desperdício de cerca de 46 milhões de quilos de papel a cada ano no Brasil — o que corresponde a uma economia de água de 1,5 milhões de metros cúbicos de água, quantidade suficiente para abastecer uma cidade de 27 mil habitantes durante um ano, conforme dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A implantação do processo digital elimina rotinas administrativas, como carimbar, envelopar e distribuir as peças, o que garante uma tramitação até 70% mais rápida em relação aos processos físicos. Uma pesquisa produzida pela Softplan em parceria com tribunais que utilizam o Sistema de Automação da Justiça (SAJ), principal colaborador para a adoção do processo digital na Justiça Brasileira, aponta números que evidenciam a celeridade:

  • 47% de ganho na taxa de vazão dos processos (congestionamento);
  • 87% de aumento do índice de atendimento de novos processos e
  • 50% de aumento da produtividade de magistrados.

O processo digital permite o processamento de ações judiciais por meio de autos totalmente virtuais, dispensando por completo o uso do papel, o que proporciona maior agilidade, segurança e economia na prestação jurisdicional. Ao tirar de cena resmas, folhas de ofício e pastas de papel, milhares de árvores deixam de ser derrubadas e milhões de metros cúbicos de água são economizados, segundo apontam os dados do CNJ.

Conforme o Conselho, são distribuídos mais de 20 milhões de processos novos por ano no Brasil. No formato físico, consumiriam cerca de 46 milhões de quilos de papel; 690 mil árvores; 400 hectares de desmatamento por ano e, ainda, 1,5 milhões de metros cúbicos de água (suficientes para abastecer uma cidade de 27 mil habitantes durante um ano).

No Tribunal de Justiça de São Paulo, o maior da América Latina, ingressam cerca de 25 mil novas ações todos os dias, em pouco mais de um ano, a utilização do processo digital evitou o consumo de 547.382 quilos de papel e poupou 51.728 metros cúbicos de água. Indiretamente, já que a solução evita que advogados e partes se desloquem até o fórum para ter acesso ao processo físico, reduziu a emissão de carbono na atmosfera. Dados da Softplan, empresa que desenvolve o SAJ, indicam que 1.566 toneladas de gás carbônico deixaram de ser emitidas.


Confira, no infográfico, por que o processo digital é um aliado do meio ambiente. Clique na imagem para ampliar:

arte mostra os benefícios ambientais do processo digital

 

Comentar

Seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados *