Inteligência Artificial nas Procuradorias: Softplan apresenta soluções em Congresso

27/11/2018 | 3 min. de leitura

As novas tecnologias movimentam cada vez mais as diferentes instituições de Justiça. Neste ano, a Inteligência Artificial para Procuradorias se tornou realidade.

Durante o XV Congresso Brasileiro de Procuradores Municipais, que ocorreu entre os dias 19 e 22 de novembro, mais de 400 advogados públicos se reuniram para falar do fortalecimento da carreira e das tendências para as Procuradorias. Uma das questões atuais entre os procuradores é como resolver a alta demanda de processos. A solução passa pelo uso de tecnologias como ferramentas de trabalho, a exemplo da Inteligência Artificial.

A Softplan, empresa líder em analytics, Inteligência Artificial e inovação na Justiça, apresentou no Congresso diversas soluções para alavancar a produtividade das Procuradorias. O SAJ Insights, por exemplo, viabiliza uma gestão baseada em análise de dados. Os robôs estruturam as informações disponíveis na instituição e as organizam de forma didática. Assim, os profissionais conseguem elaborar petições e antecipar cenários futuros por meio do histórico de processos.

“Com o crescimento constante de processos de demandas repetitivas e de sobrecarga de litígios entre a sociedade e as entidades públicas, é comum encontrar advogados públicos que respondem sozinhos por milhares de processos. Por isso, o uso de Inteligência Artificial nas Procuradorias é essencial para o incremento da arrecadação e economia de gastos”, disse o executivo de Inovação da Softplan, Tiago Melo, responsável pelo Lab da Justiça, o primeiro laboratório de Ciência de Dados aplicada à Justiça do Brasil.

Tiago Melo concedeu entrevista sobre inteligência artificial nas procuradorias
Tiago Melo concedeu entrevista sobre o uso de inteligência artificial nas procuradorias. Assista aqui.

Outra solução apresentada é o Cofre Virtual, que oferece o certificado digital na nuvem. Com ele, é possível assinar qualquer documento a partir de um computador conectado à internet. Ou seja, o procurador não precisa mais de tokens ou smartcards.

Santo Antônio de Jesus (BA) é destaque no uso de Inteligência Artificial em Procuradorias

A atuação da Procuradoria de Santo Antônio de Jesus (BA) foi destaque durante o XV Congresso Brasileiro de Procuradores Municipais. A PGM implantou o SAJ Procuradorias em 2017. Desde então, coleciona bons resultados. O sistema gerencia os processos judiciais da procuradoria de forma intuitiva. Com ele, procurador Edmilson Lobo Maia Filho conquistou o reconhecimento do trabalho de sua equipe. Atualmente, sete pessoas integram o time.

“Na PGM Santo Antônio de Jesus, contamos com apenas três procuradores. Entendemos que o procurador municipal custa caro para a gestão pública, justamente por ser uma mão de obra bastante qualificada. Por isso, acreditávamos que era fundamental ter ferramentas de trabalho que permitissem a integralidade da nossa capacidade intelectual. É isso que nos motiva tanto a estudar”, disse Maia Filho.

Santo Antonio de Jesus no Congresso de procuradores municipais
Edmilson Lobo Maia Filho contou sua experiência com a tecnologia.

A chegada do SAJ Procuradorias à PGM Santo Antônio de Jesus proporcionou excelência na atuação dos profissionais. Só o procurador Edmilson Lobo Maia Filho conseguiu ajuizar sozinho cerca de 1,5 mil execuções fiscais num único dia, que representaram mais de R$ 15 milhões de arrecadação.

Por meio do SAJ Insights, a PGM tem uma gestão clara de seus processos, o que permite projetos eficazes a curto, médio e longo prazos.

Seus comentários são sempre muito bem-vindos. Comente!

Este espaço destina-se às repercussões sobre notícias e artigos publicados no SAJ Digital. São de responsabilidade de seus autores. Não servem como abertura de chamados e atendimentos para o portal e-SAJ.

Leia também

Receba nossas novidades por e-mail:

Fale com o
especialista
Desenvolvido por: Linkedin Instagram